O projeto de reforma do Parque Ecológico do Lago Norte, orçado em R$3 milhões, contará com toda a estrutura de acessibilidade e permitirá o uso por todas as pessoas, inclusive as com deficiência ou necessidades especiais



O GDF inaugurou nesta segunda-feira (24) o primeiro parque totalmente inclusivo do país, o Parque Ecológico do Lago Norte. Resultado de uma parceria de cooperação entre a Unidade Nacional de Acessibilidade (UNA), o Instituto Brasília Ambiental e a Associação de Paracanoagem de Brasília, com o apoio da Secretaria de Turismo do DF e Embratur. As obras de adaptação e acessibilidade vão beneficiar 220 mil pessoas com deficiência que moram no Distrito Federal.

A cerimônia de entrega da primeira etapa contou com a participação dos secretários de Economia, André Clemente, da secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, do secretário da Pessoa com Deficiência, do secretário de Meio Ambiente, Zequinha Sarney, do presidente do Instituto Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão, da presidente da UNA, Andréa Pontes, do deputado distrital Benício Tavares e do subsecretário de Esporte e Lazer, Flamarion Vidal.

O projeto conta com espaços estruturados, compostos por diversos recursos, como pisos táteis, rampas e sinalização em braile, que beneficiam pessoas com e sem deficiência, onde poderão compartilhar momentos de diversão de forma segura e ampliar suas experiências motoras, cognitivas e sensoriais.Localizado às margens do Lago Paranoá, o parque disponibilizará atividades como, paracanoagem, stand up paddle, tiro com arco, tênis de mesa, terapia em Grupo, yoga, meditação e Horta comunitária.

Apoiadora da iniciativa, a Secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, afirmou que, em breve, o espaço fará parte do Guia Turístico Acessível, criado pela Setur-DF com o objetivo de fortalecer Brasília como uma cidade inclusiva e democrática, posicionando a capital federal no eixo do turismo de acessibilidade."Essa parceria fará de Brasília uma referência nacional do turismo acessível", comemorou a secretária em seu discurso de inauguração.

O presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão, afirmou que a entrega da primeira etapa das obras é apenas o início para transformar a Unidade de Conservação numa área inclusiva para todas as pessoas com deficiência. "Faremos dessa experiência um laboratório para expandir para outras Unidades de Conservação, pois é inadmissível que haja obstáculos que impeçam pessoas de usufruírem nos parques." finalizou.

A obra ficará em torno de R$3 milhões e as intervenções são expressivas: adaptação de banheiros, rampas de locomoção e ampliação dos espaços. A expectativa é que todas as etapas do projeto estejam finalizadas em 2022. "Esse presente é para Brasília e para todas as pessoas do Distrito Federal. Temos o Projeto Mãos na Roda, que são cinquenta vans acessíveis que vão buscar as pessoas e trazer pro parque fazer esporte, e lazer. Esse é um olhar atencioso para a nossa população", afirmou o secretário de economia, André Clemente.

A idealizadora do projeto e presidente da UNA, a paratleta Andréa Pontes, lembrou ao discursar que quando se tornou cadeirante se deparou com um novo mundo e o projeto do parque se transformou em um objetivo de vida. "Encontrei  forças ao lado dos parceiros certos. Fico sem palavras com o apoio do GDF de fazer esse projeto acontecer. Nosso projeto propõe o acolhimento, atividades gratuitas para reabilitação e inclusão social de pessoas com ou sem deficiência, visando o acesso ao esporte e ao lazer, minimizando os impactos causados por diferentes condições", afirmou emocionada.

O Secretário de Meio Ambiente, José Sarney Filho, declarou que a meta do governo local é levar acessibilidade a todos os parques da cidade. "Os parques são fundamentais para o lazer da população. Nossa política é recuperar os parques de uso do Distrito Federal. Este é 16º parque recuperado que vamos entregar aos moradores da cidade. E a partir da ideia deste parque,  vamos levar acessibilidade a todos os outros parques de uso do DF", declarou.

Inclusão social
O titular da Secretaria da Pessoa com Deficiência, Flávio Pereira dos Santos, que esteve presente na cerimônia, comemorou: "Acreditamos que projetos assim devam ser uma referência não apenas em outros parques como também em outras áreas da nossa sociedade, proporcionando para as pessoas com deficiência, além da questão da acessibilidade, a inclusão social e a plena cidadania em relação à comunidade que elas estão inseridas".

Segundo o administrador do Lago Norte, Marcelo Ferreira, a conquista vai beneficiar toda a comunidade, não só as pessoas com deficiência mas, também, grávidas, idosos, obesos, enfim, todas as pessoas que tenham necessidades especiais. "Todas as pessoas com deficiência ou não, com necessidades especiais ou não poderão encontrar aqui lazer, esporte, contemplação, um espaço de acolhimento", disse.

A estrutura está localizada no Parque Ecológico do Lago Norte, próximo à ponte do Bragueto. Acessando o site unaparque.com.br, os cidadãos poderão se cadastrar para participar das atividades.Uma agenda diária também está disponível, com horário e data das aulas.Seguindo as diretrizes recomendadas pela Organização Mundial da Saúde no combate à pandemia da Covid-19, as atividades seguirão as recomendações das autoridades sanitárias, dentre elas: o uso obrigatório de máscaras, álcool em gel e medição de temperatura.
Compartilhar:

Paulo Melo

Comente:

0 comentários