GDF Contra a Covid-19
No Dia do Médico, Governo de Goiás garante modernização da unidade de saúde, com novos equipamentos. Destaque para aparelho de ressonância nuclear magnética com capacidade para 350 exames por mês, raio X digital a ser empregado em 2,5 mil procedimentos mensais, além de duas ambulâncias. "É o que se tem de mais avançado hoje", afirma governador

Foto: Marcos Pereira.

Caiado na entrega de R$ 16 milhões em equipamentos ao HGG e celebrações ao Dia do Médico: "Isso tudo me anima muito a continuar nossa luta em prol da saúde, da qualidade de vida e da cidadania que todos nós desejamos ao nosso povo"

O governador Ronaldo Caiado entregou, nesta segunda-feira (18/10), Dia do Médico, a renovação do parque tecnológico do Hospital Estadual Dr. Alberto Rassi (HGG). O investimento do Estado na melhoria da unidade de saúde é de R$ 16 milhões. Entre os destaques estão um novo aparelho de ressonância nuclear magnética e outros equipamentos que vão modernizar os atendimentos no local.

Caiado percorreu as instalações para vistoriar os novos itens e também esteve em alas da unidade hospitalar. "É o que se tem de mais avançado hoje. Dá aos colegas médicos que trabalham aqui condições de melhor atendimento ao paciente. Com menor tempo de internação, nós vamos conseguir ter um giro maior entre leitos e pacientes no HGG",  destacou.

A reestruturação do hospital garante mais qualidade para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). O novo aparelho de ressonância nuclear magnética, de 1,5 Tesla, propicia conforto e diagnóstico mais preciso. A máquina substitui um equipamento já obsoleto e deve realizar aproximadamente 350 exames por mês.

O Estado também adquiriu um moderno aparelho de raio X digital, capaz de realizar até 2,5 mil procedimentos por mês. Ainda, duas ambulâncias, 215 camas hospitalares elétricas, 100 microcomputadores, mesas de cirurgia motorizadas e outros equipamentos para o pleno funcionamento da unidade de saúde.

Na avaliação do governador, a nova aparelhagem, somada à perícia dos profissionais, contribui para garantir melhores condições de receber a população. "Isso tudo me anima muito a continuar nossa luta em prol da saúde, da qualidade de  vida e da cidadania que todos nós desejamos ao nosso povo", concluiu.

Caiado destacou ainda o padrão de qualidade instituído na unidade hospitalar. "Hoje é referência no cenário nacional pela qualidade de atendimento às pessoas e pelas cirurgias que aqui são feitas. Nós temos hoje um patamar altíssimo", reforçou ao citar procedimentos realizados, como transplantes de órgãos. "Esse hospital tem a validação de todos os institutos, tanto brasileiros quanto internacionais, o padrão da medicina que se faz aqui é algo que dá orgulho para nós, goianos", destacou.

O secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, pontuou que os recursos destinados à unidade hospitalar se converterão em "qualidade, segurança e bem-estar para os pacientes". "A medicina está para além do atendimento, além da consulta e do procedimento. A gente precisa cuidar do ser humano, precisa acolher as necessidades", afirmou.

A auditoria Fiscal do Trabalho da Superintendência Regional do Trabalho em Goiás (SRT/GO), Jacqueline Carrijo, agradeceu o esforço da gestão para implementar as melhorias. "Com esses equipamentos, os trabalhadores, médicos e toda equipe técnica,  terão mais tempo para avaliar os pacientes e estudar para dar um diagnóstico mais preciso. Isso implica em mais segurança, pois confiam na análise que foi feita", avaliou. Para ela, o investimento em modernização e tecnologia deve servir de referência para outras instituições.

O coordenador técnico do Centro de Terapia Intensiva (CTI) do HGG, Marcelo Rabahi, também reforçou que os novos equipamentos propiciam mais suporte para o exercício da medicina. "Esses equipamentos aqui, na verdade, ajudam a todos nós a fazer as nossas tarefas, e sobra mais tempo para que possamos cuidar dos pacientes", apontou ao lembrar a preocupação que a falta de aparelhamento pode trazer ao profissional da medicina.

Dia do Médico
Em alusão ao Dia do Médico, o diácono do Santuário Sagrada Família em Goiânia, Nériton Pimenta Rocha, conduziu um momento de oração e percorreu os corredores do hospital para rezar pela saúde dos pacientes internados e pelos médicos e outros profissionais que trabalham no local. Também deu sua bênção aos novos equipamentos adquiridos.

Há 48 anos na medicina, Caiado se dirigiu aos colegas de profissão com referência às premissas de "solidariedade e amor ao próximo", que regem o trabalho na área. "É aquele lado humanitário que Deus nos deu, a condição do afago, da mão estendida, o carinho de tratar um paciente. Essa é a beleza da medicina e de todos nós que tratamos da vida das pessoas", enalteceu.

"Às vezes, mais vale a mão que dá o remédio do que o próprio remédio", citou ao lembrar os ensinamentos que recebeu na sua formação. Ao falar com orgulho da profissão, também pontuou o esforço coletivo da categoria ao longo da pandemia. "Foram os verdadeiros guerreiros, junto a todos os outros que compõem a área da saúde no nosso Estado de Goiás. Isso é uma reverência que quero prestar a todos que não recuaram e não se omitiram um minuto na luta pela vida. Esse é o nosso compromisso", destacou.

Marcelo Rabahi não deixou de lembrar a influência da formação do governador para conduzir seu mandato. "É um orgulho também que todos nós sentimos hoje, governador, de saber que o senhor, enquanto médico, exerceu o papel de líder do nosso Estado, mas jamais esqueceu o CRM. Nós, que estávamos todos os dias atendendo os pacientes, tínhamos uma referência de alguém pensando como nós: que o mais importante é o ser o humano", defendeu.

Estiveram presentes à solenidade o coordenador executivo do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech), José Cláudio Romero; e colaboradores do HGG.
Regras do Código de Trânsito Brasileiro, fiscalização e conscientização derrubam índice de letalidade no transporte de crianças com até 10 anos

Foto: Joel Rodrigues.

"Nas escolas, por meio de peças teatrais e contação de histórias, trabalhamos a questão comportamental das crianças e dos professores, que são pessoas muito importantes na vida delas. É uma oportunidade de explicar, de uma maneira lúdica, a importância das cadeirinhas e dispositivos para quem usa"Marcelo Granja, diretor de Educação de Trânsito do Detran-DF

A segurança das crianças no trânsito é prioridade na fiscalização e na conscientização dos motoristas por parte do Governo do Distrito Federal (GDF). Dados do Departamento de Trânsito (Detran-DF) mostram que, entre janeiro e setembro deste ano, o número de vítimas fatais de crianças com até 12 anos de idade apresentou uma redução de 33% em comparação ao mesmo período de 2020.

Neste ano, dentre as crianças mortas em acidentes de trânsito, uma era ciclista e a outra era pedestre, o que significa que não foi registrada nenhuma vítima fatal em veículos até o momento no DF. Reflexo das regras mais rígidas para o transporte de passageiros com até 10 anos em veículos, regulamentadas no novo Código de Trânsito Brasileiro, que passou a vigorar em 12 de abril deste ano (leia mais abaixo).

Apesar da redução no número de vítimas fatais, as infrações relacionadas ao Artigo 160 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), relativo ao transporte de crianças em veículo automotor sem observância das normas de segurança, registrou um aumento de 17% nos nove primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado (2.689 infrações em 2021 contra 2.293 infrações em 2020), de acordo com o Detran-DF.

Para reforçar a importância da utilização das cadeirinhas e dispositivos de retenção, o Detran-DF está fazendo campanhas de conscientização em diversas escolas. O diretor de Educação de Trânsito do órgão, Marcelo Granja, explica a escolha por este tipo de abordagem direta com as crianças: "Nas escolas, por meio de peças teatrais e contação de histórias, trabalhamos a questão comportamental das crianças e dos professores, que são pessoas muito importantes na vida delas. É uma oportunidade de explicar, de uma maneira lúdica, a importância das cadeirinhas e dispositivos para quem usa".

Segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária, a utilização das cadeirinhas e dos dispositivos de retenção aumenta em 70% a chance de sobrevivência das crianças em caso de acidentes. O presidente da seccional DF da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet-DF), Geraldo Guttemberg Soares Júnior, ressalta a importância dos equipamentos. "Em uma colisão, uma criança de 10 kg pode gerar um impacto de 100 kg em caso de acidente grave, não tem quem segure em uma batida frontal. Só há uma maneira de evitar o trauma: fazer com que ela fique fixa", resume.

A diretora de Educação de Trânsito do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), Jucianne Nogueira, reforça o respeito às regras tanto em rodovias quanto em ruas convencionais. "O responsável pela segurança das crianças é o adulto. Observamos um crescimento na responsabilidade dos cidadãos, mas ainda não alcançamos a plenitude, pois em percursos menores, as pessoas tendem a não respeitar tanto, mas o uso é obrigatório", afirma.

Sobre a nova regulamentação
A Lei nº 14.071/2020 trouxe uma série de alterações no CTB, como as novas regras para o transporte de crianças menores de 10 anos em automóveis. O uso de cadeirinhas e dispositivos de retenção, além de obrigatório, também leva em conta o peso e a altura do passageiro.

O não cumprimento das novas regras acarreta em infração gravíssima, que prevê multa de R$ 293,45, sete pontos na carteira e retenção do veículo.

Confira os critérios:
> Bebê conforto
Obrigatório para crianças com até 1 ano de idade; ou com peso de até 13 kg, conforme limite máximo definido pelo fabricante do dispositivo

> Cadeirinha
Obrigatória para crianças com idade superior a 1 ano e inferior ou igual a 4 anos; ou com peso entre 9 e 18 kg, conforme limite máximo definido pelo fabricante do dispositivo

> Assento de elevação
Obrigatório para crianças com idade superior a 4 anos e inferior ou igual a 7 anos e meio; ou com até 1,45 m de altura e peso entre 15 e 36 kg, conforme limite máximo definido pelo fabricante do dispositivo

> Cinto de segurança no banco de trás
Obrigatório para crianças com idade superior a 7 anos e meio e inferior ou igual a 10 anos; ou com altura inferior a 1,45 m
Clube valparaisense venceu o Gama, por 3 a 0, no dia 09 de outubro

Foto: Marcio Oliveira.

No último sábado (09/10), em partida válida pela 3ª rodada da Copa Brasília Futebol de Base, o Grêmio Desportivo Valparaíso venceu o Gama por 3 a 1, no Centro Poliesportivo do Jardim Céu Azul.

A equipe valparaisense segue invicta na competição com um empate e duas vitórias. Os gols foram marcados por Daniel (2) e ítalo. Com o triunfo o time da nossa cidade chegou a 07 pontos com saldo de 08 gols a favor e 02 gols contra.

O próximo confronto ainda será agendado pela organização da Copa Brasília de Futebol de Base. Lembrando que o clube é o único do município federado a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).
O ex-governador  Rollemberg acredita que os 200 mil servidores públicos já esqueceram o maior calote da história do DF aplicado pelo seu então governo 

Foto: Facebook Rollemberg.

Em 2017, o então governador Rodrigo Rollemberg (PSB), ao se referir ao pagamento da terceira parcela dos servidores do DF, disse: 

"Eu não vou ficar conhecido como o governador que quebrou Brasília", afirmou na ocasião. 

Ao deixar o Buriti, em janeiro de 2019, o então governador, além de aplicar o calote de mais de R$ 1 bilhão contra os servidores públicos, deixou ainda sucateada a saúde, arrebentou com a educação e a segurança e deixou para trás a herança maldita de R$ 7,7 bilhões, maior rombo sem lastro financeiro da história do Distrito Federal. 

Para completar a tragédia governamental, o governo socialista deixou também para trás o Viaduto do Eixão, no centro de Brasília, completamente desabado sobre uma montoeira de ferros retorcidos. 

Como se o povo tivesse memória curta, o ex- chefe do pior governo da história de Brasília, usou as suas redes sociais nesta quinta-feira (15), para dizer que deixou no orçamento de 2019, R$ 600 milhões para pagar a última parcela às 33 categorias de servidores públicos do DF (veja abaixo). 



Voltando a linha do tempo, a terceira parcela foi estabelecida por meio da Lei nº 5.184/2013. 

Os funcionários chegaram a receber a primeira parcela em 2013, a segunda em 2014. 

Em 2015, os 200 mil servidores, entre ativos e inativos, deveriam receber a última parcela. 

Foi aí que o governo Rollemberg resolveu aplicar o calote que perdurou durante os quatro anos de gestão socialista. 

Decretou a suspensão do repasse dos benefícios por tempo indeterminado. 

O então governador alegava a falta de recursos para pagar os valores e que o repasse desses pagamentos poderia quebrar os cofres públicos. 

E foi mais além: tentou barrar o pagamento da terceira parcela com uma ação no Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT). 

O argumento era de que a medida poderia "levar o Estado à ruína financeira". 

O saracoteado do ex-governador, decorreu em face do anúncio feito pelo governador Ibaneis Rocha, sobre o envio à CLDF, de um  pedido de reajuste ao orçamento para pagar a terceira parcela aos servidores. 

Alguns políticos como RR pensam que o povo tem memória curta. Quem não te conhece é quem te compra, Rollemberg!
Por determinação do prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos) a classe artística tem até o dia 20 de outubro de 2021 para cadastramento online ou presencial no edital da Lei Municipal de Incentivo à Cultura

Foto: Marcos Lopes.

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), prorrogou para 20 de outubro o prazo de inscrição no edital da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. A nova data foi publicada no Diário Oficial do Município desta sexta-feira (15/10) juntamente com uma errata referente à documentação obrigatória, valores e homologação dos resultados dos inscritos.

O documento oficial informa que declarações sobre direitos autorais, cartas de aceite dos participantes do projeto e anuência dos espaços devem ser apresentados somente após a aprovação do projeto. Além disso, informa que os valores pleiteados podem ser até o teto, conforme edital prevê para cada segmento; e que não há necessidade de assinatura nos formulários cadastrados online.

Lei Municipal de Incentivo à Cultura

No total são R$ 4.451.780,00 disponíveis para beneficiar representantes da classe artística. Podem ser inscritos projetos culturais de pessoa física e jurídica com e sem fins lucrativos, conforme descrito no edital.

O formulário de inscrição, bem como o edital com todas as informações específicas estão no link https://www.goiania.go.gov.br/secult/lei-incentivo/. Artistas interessados têm a opção online, via SEDEX e presencial tanto para a inscrição quanto para entrega da proposta do projeto, que pode ser na sede da Secult, no Parque Atheneu; ou no Centro Cultural Estação Cultura, a Antiga Estação Ferroviária, no Centro.

A Gerência de Projetos Culturais e Planejamento Estratégico, a Comissão de Projetos Culturais e o Conselho Municipal de Cultura são responsáveis diretos pela posse, análise, avaliação e pontuação dos projetos, bem como devem seguir rigorosamente o que determina a Lei de nº 8.666/93, sujeitos a responsabilidade nos termos da Lei nº 8.429/92 e Lei nº 4.898/65.

Serviço
Assunto: Prefeitura prorroga período de inscrições para Lei de Incentivo à Cultura
Inscrições: até 20 de outubro de 2021
Mais informações: (62) 3596-6700 e https://www.goiania.go.gov.br/secult/lei-incentivo/
Um dos parlamentares mais jovens a comandar uma casa legislativa estadual no País, o deputado Rafael Prudente, do MDB, é o convidado da próxima edição do projeto de entrevistas coletivas "Sala de Imprensa ABBP", na segunda-feira (18), às 18h


Nascido em Brasília, Rafael Cavalcanti Prudente, é filho de pai goiano e mãe pernambucana. O empresário cresceu em Brasília e ama a Capital Federal não só pela sua beleza arquitetônica e paisagística, mas pelo povo guerreiro e trabalhador que diariamente zela e honra o nome da cidade. O empresário é casado com Pollyanna Vaz Prudente. O casal tem dois filhos, Rafael e Samuel.

Formado em administração de empresas, Rafael iniciou cedo sua vida profissional. Aos 15 anos começou a trabalhar no almoxarifado de uma empresa. Depois passou para o setor de entregas, em seguida para os departamentos de compras e operacional. Com 22 anos assumiu o cargo de diretor comercial da empresa e foi com este trabalho que pagou a faculdade. Depois de uma longa jornada de aprendizado abriu seu próprio negócio no segmento eletrônico.


A coletiva terá duração de uma hora e será transmitida simultaneamente nas fanpages (páginas) do Facebook da ABBP e dos sites e portais de notícias associados à entidade.

Na ocasião, o presidente da Câmara Legislativa do DF falará de sua atuação à frente do parlamento distrital e em seguida ele responderá às perguntas dos jornalistas dos veículos filiados a ABBP.

 Serviço: Sala de Imprensa ABBP com o presidente da CLDF, Rafael Prudente
Dia: 18 de outubro de 2021, às 18 horas.
Local: do Facebook da ABBP e dos sites e portais de notícias associados a ABBP;
Curta a nossa fanpage: https://www.facebook.com/associacaoabbp/
Siga a ABBP no Instagram: https://www.instagram.com/abbpdf/
Acompanhe nossos tweets: https://twitter.com/ABBP2014
Apesar de ser do mesmo partido de Ibaneis Rocha, Filippelli (a esquerda) ignorou a decisão do governo emedebista que anunciou na semana passada, o pagamento da terceira parcela às 33 categorias de servidores públicos 

Foto: Facebook.

Ao celebrar o Dia do Professor, comemorado na última sexta-feira (15), Tadeu Filippelli (MDB), ex-vice-governador  da desastrosa gestão do petista Agnelo Queiroz, postou nas suas redes sociais um vídeo onde tenta tirar uma casquinha da terceira parcela do reajuste salarial do servidor público do DF.

A terceira parcela é direito estabelecido em lei que deixou de ser pago, devido à incompetência, a corrupção e descasos dos últimos governos. 

A Lei nº 5.184/2013, criada pela gestão Agnelo/Filippelli, que instituiu na época um reajuste aos mais de 200 mil funcionários públicos, tratou-se de uma desesperada e fracassada ação eleitoral do  projeto de poder petista no DF. 

A dupla não conseguiu a reeleição, e o sucessor Rodrigo Rollemberg (PSB), também fracassou na reeleição dele em 2018 por massacrar o setor público. 

Na sexta-feira (15), um dia depois do anúncio feito por Ibaneis, sobre o seu compromisso de pagar a dívida deixada por seus antecessores, eis que surge Filippelli tentando se reinventar com um ar professoral e tom sindicalista que nunca foi. 

O presidente de honra do MDB, desonrou o próprio partido ao tentar desqualificar o esforço feito pelo governo emedebista que irá pagar a dívida, empurrada por oito anos pelos dois últimos governos. 

Filippelli diz em seu vídeo,  "que a terceira parcela não foi dada, até o momento, baseada em medidas protelatórias". Da mesma forma que ignora a firme decisão de Ibaneis, para pagar a dívida, Filippelli não fala que o governo Rollemberg embromou os servidores com ações na justiça para não pagar o que era devido. 

Se o governo Agnelo-Filippelli não tivesse gasto escandalosamente quase R$ 2 bilhões, no superfaturado Estádio Mané Garrincha, o reajuste talvez pudesse ter sido pago a 200 mil servidores pela gestão petista e ninguém falava mais nisso. Para ser justo com a história, era o que deveria dizer Tadeu Filippelli no tal vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=7X7QE4r7qAs&t=98s
Criar um sistema de compartilhamento foi a saída encontrada para o abandono de bikes no bicicletário do condomínio Sundance, na Barra da Tijuca, há pouco mais de seis meses


A ideia surgiu após a realização do recadastramento de bikes pela empresa que administra o condomínio. No último registro, as bicicletas que antes seriam doadas ganharam um novo destino: foram recicladas e disponibilizadas para uso gratuito dos moradores.

Eram, no total, mais de 50 bicicletas abandonadas, das quais 15 foram restauradas e ofertadas para o uso compartilhado; e cinco, reservadas para possíveis trocas ou substituições. O restante das bicicletas foi colocado à venda, e o valor será revertido para a campanha de fim de ano e compra de presentes para os funcionários.

De acordo com a síndica Verônica Alves, um integrante do conselho do condomínio teve inspiração em uma reportagem sobre o assunto e decidiu propor a realização do projeto no condomínio.

— Todos os anos fazemos o recadastramento para liberar espaço nos bicicletários, mas no passado não houve a atualização, devido à pandemia. Este ano, quando fomos fazer o processo, sobraram muitas bikes. Eu me informei sobre maneiras de realizar (o projeto) e o jurídico ajudou mostrando o que poderíamos fazer— explica a síndica.

Para efetivar o projeto, o condomínio decidiu reaproveitar o esquema de travas para empréstimo de carrinhos de compras.

Por meio do sistema, que é controlado por um cartão, a identificação do morador fica registrada até que seja devolvido o carrinho. Agora, os cartões também valem para o compartilhamento das bicicletas.

— Como todos os condôminos já têm dois cartões por unidade, nós compramos as mesmas travas e colocamos para as bicicletas. Assim, vamos saber quem são os moradores que estão com as bikes de acordo com a numeração que colocamos, e os cartões ficam presos. Só saem com a devolução da bicicleta — diz Verônica.

O esquema tem tido sucesso, sobretudo nos fins de semana. Segundo a sindíca, há momentos em que quase todas as bicicletas disponibilizadas estão em uso. Para a moradora do condomínio Elisa Brandão, o uso das bicicletas tem sido muito positivo para os condôminos.

— Isso evita a compra de mais bicicletas, enchendo os bicicletários. Serve também para que o morador possa passear com suas visitas, por exemplo, aproveitando a natureza do local onde moramos. De quebra, fazemos exercício — comenta.

E os moradores já estão contribuindo com dicas para a melhoria do serviço:

— Já temos dever de casa para melhorias a partir de ideias dos usuários, como colocar cadeados em cada uma das bicicletas, para que os moradores possam prendê-las ao ir ao supermercado, por exemplo — diz a moradora.

Fonte: O Globo.
GDF Contra a Covid-19