Depois da desclassificação da Libertadores na quinta-feira passada, pressionado por todos os lados, o presidente (argh) Mário Bittencourt foi obrigado a demitir Roger e efetivar Marcão


Por Raimundo Ribeiro

Nesta segunda-feira, a estréia de Marcão foi das mais indigestas: enfrentar o Atlético MG, líder do campeonato, melhor campanha na libertadores, melhor elenco, e contando com os 2 melhores jogadores do Brasil (Hulk e Nacho), simplesmente o time que tem apresentado o melhor futebol no Brasil.

Apesar disso, ou por causa disso, o Fluminense de Marcão não se intimidou.

Sem insegurança e sem medo do adversário, características do time tendo o trio Roger/Angione/Mário à frente, o Fluminense fez um bom jogo contra o poderoso Galo.

Apresentou uma boa estrutura defensiva, com 3 volantes que saiam para o jogo e pelo posicionamento, ofereciam segurança para que os laterais avançassem para o ataque.

Melhorou a marcação não permitindo que o adversário recebesse a bola e tivesse tempo para pensar o que fazer.

Teve saída de jogo sempre que retomava a bola e procurava Luiz Henrique.

Cometeu ainda velhos erros como preferir marcar apenas a partir da intermediária defensiva, mas isso pode ser corrigido quando aumentar a segurança já demonstrada neste jogo.

Escalar Lucca é inexplicável, mas possivelmente Marcão saberá se desvencilhar dos empresários que rondam as laranjeiras.
No primeiro tempo fechamos 1x0 com Fred batendo pênalti.

No segundo tempo, o time cansou e o galo passou a mandar no jogo.

Marcão demorou a reagir e fazer as substituições necessárias, mas quando fez colocando Gabriel Teixeira o Fluminense voltou a ter uma válvula de escape e só não liquidou a fatura porque Biel esteve numa péssima noite, perdendo um gol incrível e desperdiçando 2 excelentes contra-ataques.

No final o galo empatou merecidamente, mas a atuação de hoje mostra que foi burrice insistir com Roger.

A direção de Marcão resgatou a segurança e a coragem que o time precisa ter, e mostrou também que podemos enfrentar qualquer adversário sem medo, pois empatamos com o melhor time do Brasil atualmente.

Na próxima quinta-feira, o adversário será o mesmo, mas pelo mata-mata da copa do Brasil.

Pelo que foi exibido neste jogo, será uma disputa dura, mas podemos ganhar.

O mais importante disso tudo é a mudança de postura: deixamos de ser um time covarde e inseguro e agora temos um time armado com segurança para defender e contra atacar.

Obviamente ainda falta muita coisa, mas é um bom começo.

Espero que quinta-feira, Marcão comece com Gabriel Teixeira no lugar de Lucca e encontre um lugar para Caio Paulista.

Bora FLUZÃO!

*Raimundo Ribeiro é apaixonado por futebol e naturalmente tricolor.
Compartilhar:

Flávio Santana

Comente:

0 comentários