Na última sexta-feira (10), Romeu Zema, Governador de Minas, anunciou em suas redes sociais que o Governo estuda meios de, a partir do próximo ano, adotar critérios para que parte dos recursos do Fundeb, além de aplicados na melhoria do sistema de ensino e da estrutura educacional, seja também destinado a ampliar a remuneração dos profissionais de educação

Foto: Divulgação.

A resposta do Governo vem 10 dias após a vice-líder do Governo na Assembleia de Minas (ALMG), Deputada Estadual Laura Serrano (NOVO), solicitar, em reunião realizada em 30 de novembro, análise da iniciativa por parte do Secretário-Geral do Estado, Mateus Simões, e da Secretária de Estado de Educação, Júlia Sant'Anna.

Laura também protocolou pedido junto à Comissão de Educação da ALMG, onde solicitava estudos para propiciar a bonificação, além de discussões com profissionais da educação e pais para a construção desta iniciativa.

O pedido da parlamentar prevê a implantação da remuneração variável para os professores considerando, por exemplo, os resultados das avaliações externas que medem a aprendizagem dos alunos em português e matemática. A Deputada salienta que a modelagem está em elaboração, envolvendo diferentes e complexos estudos para a incorporação de critérios como a vulnerabilidade social, além da análise de diferentes iniciativas brasileiras, como propostas dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, de forma a gerar uma premiação justa pelo desempenho e que contribua para a evolução do aprendizado dos alunos de todas as escolas mineiras. "Com isso ganhará os professores e sobretudo os alunos, uma vez que eles serão os mais beneficiados com um ensino de maior qualidade", comemora Laura.

"Estou imensamente feliz com a notícia dada pelo nosso governador'', declarou Laura Serrano. A parlamentar comemorou a iniciativa, que, segundo ela, reafirma o compromisso do Governo de Minas com a Educação de qualidade. Além de retribuir

os esforços do contribuinte com o pagamento dos impostos, a elevação da qualidade no ensino vai permitir mais desenvolvimento para Minas e, consequentemente, para o Brasil.

"Com esse adicional por resultados ao salário fixo, Minas valoriza ainda mais os profissionais da educação, reconhecendo o seu trabalho, dedicação e trazendo melhorias significativas para o ensino das nossas crianças e, assim, garantir melhores oportunidades e condições justas para elas", finaliza Laura Serrano.
Compartilhar:

Paulo Melo

Comente:

0 comentários