São 50 profissionais trabalhando para tapar buracos, recuperar vias e restabelecer rede pluvial em Taguatinga e São Sebastião

Foto: Micaela Oliveira.

Apesar de serem esperadas em janeiro, as chuvas, esse ano, se intensificaram e andam causando transtornos para a população. Neste sábado (8), a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) atua em um mutirão de manutenção em Taguatinga, recuperando vias e realizando serviços de tapa-buracos, e em São Sebastião, restabelecendo a rede pluvial.

"Estamos trabalhando incansavelmente para que a população se sinta segura e amparada quando as chuvas causam prejuízos", Fernando Leite, presidente da Novacap.

São cerca de 50 profissionais, entre técnicos, engenheiros e operadores de máquinas, que estão trabalhando para garantir a segurança da população. A Novacap trabalha o ano inteiro na prevenção de estragos causados por fenômenos naturais, poda de árvores, desobstrução de bocas de lobo, limpeza da rede de drenagem, recuperação de vias e operações como a deste sábado.

Em São Sebastião, onde houve o rompimento da rede pluvial, a equipe de engenheiros e técnicos da Novacap, em parceria com os trabalhadores da administração local, isolou a área para escavação, troca de manilhas e conserto da rede. A previsão é que na segunda-feira (10) a pavimentação esteja concluída.

Taguatinga
Em Taguatinga, 27 profissionais estão nas ruas da C3, C4, C5 e C8 recuperando a malha asfáltica. As chuvas abriram buracos e crateras, colocando em risco os pedestres e motoristas que desviam do centro da cidade – atualmente em obras, devido à construção do Túnel de Taguatinga. A Novacap foi acionada e rapidamente tapou diversos buracos no local, deixando novamente a via segura para o tráfego na região.

"A Novacap é a empresa que zela por Brasília; nosso dever é agir rápido", resume o presidente da companhia, Fernando Leite. "Estamos trabalhando incansavelmente para que a população se sinta segura e amparada quando as chuvas causam prejuízos. Recrutamos toda a nossa equipe de operadores, técnicos e engenheiros para atuarem junto aos profissionais das administrações regionais, para restabelecer a normalidade de serviços essenciais."
Compartilhar:

Fernando Melo

Comente:

0 comentários