Melhorar a saúde, principalmente o pronto atendimento, é uma determinação do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). Balanço das seis UPAs entregues apontam o importante reforço do atendimento à população do DF

 Fotos: Davidyson Damasceno.

"Sei as dificuldades que a saúde pública do DF enfrenta, principalmente diante da pandemia que enfrentamos nos últimos anos, mas pouco a pouco temos trabalhado para melhorar essa realidade. Em 2022 continuaremos trabalhando pela saúde do DF, que ainda tem muito para melhorar", comentou Ibaneis.

As seis unidades de pronto atendimento (UPAs) recém-inauguradas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) já ultrapassam a realização de 122 mil atendimentos. As estruturas que funcionam 24 horas por dia atendendo casos de urgência e emergência. De acordo com o balanço oficial da Gerência de Resultados do instituto, foram realizados 46,5 mil acolhimentos com classificação de risco, 45,9 mil atendimentos médicos e 29,7 mil atendimentos de urgência com observação.  

 "Autorizei a contratação imediata de 100 médicos e quase 800 enfermeiros e técnicos de enfermagem para reforçar o atendimento à população no combate à covid-19. Um investimento de R$ 32 milhões. A pandemia exige cuidados e um trabalho reforçado de nossa parte. Com a chegada desses profissionais, esperamos amenizar as dificuldades que a população enfrenta no atendimento. Seguimos juntos, trabalhando para vencer essa pandemia", comentou o governador Ibaneis Rocha.


 As UPAs começaram a ser inauguradas no final de 2021. A primeira delas foi inaugurada em Ceilândia em 24 de setembro de 2021, a segunda no Paranoá em 18 de outubro, a terceira no Gama em 27 de outubro, a quarta no Riacho Fundo II em 18 de novembro, a quinta em Planaltina em 8 de dezembro e a sexta a unidade em Vicente Pires no dia 25 de janeiro. Em breve será inaugurada mais uma em Brazlândia.

 "Ao todo, o investimento total para construir as sete novas UPAs é de aproximadamente R$ 51 milhões. Foi proporcionado emprego e renda para mais de 1000 profissionais que foram contratados pelo IGESDF para abrir essas unidades", disse a diretora-presidente substituta do IGESDF, Mariela Souza. Segundo ela, para cada UPA, foram contratados por processo seletivo feito pelo IGESDF cerca de 150 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos e outros colaboradores que vão atender os pacientes.

 Wendell Sousa, 19 anos, foi um dos pacientes já atendidos em uma das novas UPAs. Ela foi à Ceilândia II e elogiou o serviço prestado. "Gostei muito do atendimento aqui. Eu fui medicado e já estou bem melhor", disse o jovem, que buscou atendimento por estar sentindo dores no corpo.

 "A quantidade de atendimentos que realizamos mostra o impacto positivo da abertura de mais UPAs no Distrito Federal. Esse é um indicativo que estamos no caminho certo para ampliar o acesso da população aos serviços de saúde", disse a superintendente de Atenção Pré-Hospitalar, Nadja Vieira.


SAIBA – O funcionamento das UPAS é 24 horas por dia. As unidades atendem casos de urgências e emergências de clínica médica, como pressão alta, febre alta, sintomas respiratórios como falta de ar, desmaio, convulsão, diarréia aguda, infecção do trato urinário, dor abdominal de moderada a aguda e complicações cardiológicas e neurologistas, como infarto e AVC.

Os médicos prestam socorro, prescrevem medicamentos e exames e analisam se é necessário encaminhar os pacientes a um hospital, mantê-los em observação por 24 horas ou dar alta após o atendimento.

  

UNIDADE 

ATENDIMENTOS MÉDICOS 

 ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA C/ OBSERVAÇÃO DE 24 HORAS 

ACOLHIMENTOS COM CLASSIFICAÇÕES DE RISCO 

TOTAL 

UPA CEILÂNDIA 2 

13722 

8218 

13817 

35757 

UPA PARANOÁ 

9016 

8039 

9540 

26595 

UPA GAMA 

10859 

6539 

10848 

28246 

UPA RIACHO FUNDO 2 

6669 

3987 

6669 

17325 

UPA PLANALTINA 

4860 

2846 

4862 

12568 

UPA VICENTE 

790 

106 

791 

1687 

TOTAL 

45916 

29735 

46527 

122178 

 

Compartilhar:

Juliano Roriz

Comente:

0 comentários