Entre as emendas acatadas está a que assegura cargos privativos para servidores efetivos do órgão


Foto: Gabriel Jabur.

A estrutura administrativa do Serviço Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU) passou por várias alterações nos últimos anos, quando a autarquia passou de executora de serviços para gerenciadora da limpeza pública e do manejo dos resíduos sólidos. Com o intuito de adequar o órgão às crescentes demandas, o GDF enviou ao Legislativo local o projeto de lei nº 2.650/22, que reestrutura o SLU, extinguindo cargos antigos e criando novos. O texto foi aprovado, com emendas, pelo plenário da Câmara Legislativa na noite desta quarta-feira (30).

"A estrutura vigente não está adequada e se apresenta insuficiente para monitorar e fiscalizar os serviços de limpeza urbana prestados pelas empresas terceirizadas - gerenciar o manejo dos resíduos sólidos - bem como mostra-se insuficiente para alcançar resultados mais expressivos no que tange à eficácia administrativa", afirma o texto que acompanha o projeto.

Entre as emendas acatadas está a que assegura cargos privativos para servidores efetivos do órgão.
Compartilhar:

Juliano Roriz

Comente:

0 comentários