Com mais de 250 mil habitantes e cerca de 15 mil estabelecimentos comerciais, Taguatinga vem recebendo obras e investimentos que impulsionam o desenvolvimento econômico

Foto: Joel Rodrigues.

"Sou nascida e criada em Taguatinga. É a minha casa, não tenho vontade nenhuma de sair daqui nem pretendo. Eu gosto e vivo daqui". A autora da declaração afetuosa é a empresária Andressa Dias Rodor, 53 anos, proprietária de uma loja de tecidos no Taguacenter há oito anos. Taguatinguense de nascimento, ela elogia com alegria os feitos e as conquistas da cidade, que completa 64 anos neste domingo (5).

Para Andressa, Taguatinga conseguiu concretizar o sonho empreendedor dos moradores. Diariamente, ela recebe pedidos de material têxtil de pessoas de todo o Distrito Federal e do entorno. "É um polo varejista, praticamente. Tudo o que você quiser, pode encontrar aqui. E, por causa da pandemia, tivemos uma queda nas vendas. Mas há uns dois meses, o comércio tem reagido. E esperamos que ele reaja o máximo possível, porque, afinal de contas, o comerciante vive do comércio", afirma ela.

Nascida em Taguatinga, a empresária Andressa Dias Rodor tem uma loja de tecidos no Taguacenter há oito anos; sonho de empreender concretizado | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

O administrador de Taguatinga, Ezequias Pereira, alega que, embora não tenha espaço para se expandir verticalmente, a cidade está em constante desenvolvimento econômico. "Com a reforma da Praça do Relógio e a construção do boulevard do Túnel de Taguatinga, o centro da cidade terá uma expansão absoluta do comércio. A cidade já foi considerada um polo referencial do varejo no DF e, até hoje, é popular entre toda a população. As pessoas saem do Plano Piloto e até de Águas Lindas de Goiás para comprar aqui", alega o gestor.

Pereira acrescenta que as obras em andamento na cidade, bem como as que devem ser executadas ainda neste ano, vão gerar maior fluxo de clientes e empreendedores. "O empresariado já entende que as obras vão causar diversos benefícios ao comércio, desde a valorização do setor imobiliário até o aumento no movimento das lojas. Até mesmo as quadras residenciais, como a QNA e a QSA, se tornaram pontos de desenvolvimento de pequenos e médios empresários, com escritórios, boutiques, salões de beleza", salienta.

"O governo atual teve a vontade política de entregar o Túnel de Taguatinga para a população e deu esse presente à cidade. Com isso, fica mais humana, tem menos trânsito, com mais espaço para o movimento. E o comércio vai aproveitar muito disso"Justo Magalhães, presidente da Associação Comercial e Industrial de Taguatinga

Conforme a Associação Comercial e Industrial de Taguatinga, há cerca de 15 mil comércios na cidade, principalmente de pequeno e médio porte. Os principais polos são o Taguacenter, as avenidas comerciais Sul e Norte e o próprio centro da cidade. Para o presidente da entidade, Justo Magalhães, com a construção do Túnel de Taguatinga e a reforma da Avenida Hélio Prates, o movimento de compradores será potencializado.

"O governo atual teve a vontade política de entregar o Túnel de Taguatinga para a população e deu esse presente à cidade. Com isso, fica mais humana, tem menos trânsito, com mais espaço para o movimento. E o comércio vai aproveitar muito disso", explica Magalhães, que é pioneiro da cidade. Ele e a família, composta pelos pais e sete filhos, mudaram para a região em 1960.

Sombra e água fresca
Além de grandes centros comerciais, Taguatinga reúne pontos de lazer e desporto. Longe da correria do comércio, são locais propícios para piqueniques no fim de tarde e caminhadas, além de ideais para levar crianças e pets.

Foi o que fez a dona de casa Graça Silva, 55 anos. Em plena quarta-feira, às 16h, ela estirou uma toalha de piquenique na grama, tirou lanches e sucos da mochila e liberou as crianças para brincar no Taguaparque. "É um clima bem legal, a criançada fica bem à vontade. Acho que lugares assim são importantes para a cidade, é muito bom pegar um sol, deitar na grama", comenta ela, que levou ao passeio a filha, a neta e a filha da vizinha.

Moradora de Ceilândia, a cabeleireira Bruna Peronico, 28 anos, aproveita os dias ensolarados para levar a filha de 6 anos ao parque. Na última ida, convidou uma amiga, que também levou as crianças. "É um parquinho muito legal, conservado. Então, fico mais tranquila de trazer minha neném pra brincar, sem medo de que ela se machuque. E aí, enquanto ela se diverte, coloco a conversa em dia", diz.

Além dos parques urbanos, Taguatinga conta com unidades de conservação ambiental. Estão com visitação aberta o Parque Ecológico do Cortado e o Parque Ecológico Saburo Onoyama, que têm, pelo menos, 30% de área de preservação e espaço público para caminhadas e atividades de lazer.

A atual gestão do Governo do Distrito Federal tem se preocupado com os espaços de lazer e desporto da cidade, tendo reformado e construído pelo menos quatro praças, 12 quadras poliesportivas, 18 parquinhos, quatro Pontos de Encontro Comunitários (PEC) e seis estacionamentos desde 2019. Há ainda o programa GDF Presente, que executa manutenções nos parques e praças, com a troca dos brinquedos, dos alambrados e da areia.

Participe
Para comemorar o aniversário de Taguatinga, a administração da cidade organizou uma programação para todo o mês de junho. Confira:
Compartilhar:

Paulo Melo

Comente:

0 comentários